GMC Creative

Sintropia: somos parte de um sistema inteligente

Assuntos: Ciência e Tecnologia, , , , Data: 3 de janeiro de 2016 - 19:53 Autor: Regina do Couto Visualizações: 26101.

Vida em abundância

Modelo de sistema agroflorestal, a “Sintropia” ou Agricultura Sintrópica de Ernst Götsch, em Piraí do Norte, Baixo Sul da Bahia, está há 40 anos produzindo vida: percebendo a inteligência da floresta, a sucessão vegetativa e incluindo a produção de alimentos dentro da dinâmica florestal.

Sintropia - Ernst Götsch (foto Agenda Gotsch)
Sintropia – Ernst Götsch (créditos Agenda Gotsch)

Ernst Götsch, 68, agricultor e pesquisador suíço, desenvolveu seus primeiros estudos sobre sistemas complexos de plantio na Suíça e na Alemanha, na década de 1970, trabalhando com consórcio entre espécies e experimentação de associações não tradicionais na época. Assim, dos clássicos milho com feijão, surgiram trigo com ervilha, com framboesa, com maçã e com cereja.

Do sucesso dos seus experimentos e da percepção sobre a organicidade e cooperação entre as espécies dos cultivares, assim como Catie e Capra, desenvolveu os princípios do pensamento da Sintropia em cima da abordagem sistêmica e dos Sistemas Agroflorestais Sucessionais.

Depois de realizar trabalhos de recuperação de solos com implantação de Sistemas Agroflorestais produtivos na Costa Rica, Ernst migrou para o Brasil no começo da década de 1980, estabelecendo-se na Microrregião do Baixo Sul da Bahia.

Em Piraí do Norte, adquiriu 500 hectares de terras degradadas, a Fazenda Fugidos da Terra Seca. Eram terras improdutivas pelas práticas de corte de madeira, formação de pastagens pelo fogo, ciclos repetidos de cultivo de mandioca em encostas e criação de suínos nas baixadas.

Hoje, 40 anos depois da utilização de técnicas de recuperação de solos com métodos de plantio que imitam a regeneração natural de florestas, a “Fazenda Olhos d’Água”, como se chama atualmente, é um modelo de viabilidade da produção de alimentos integrada à dinâmica das florestas.

Sintropia - Ernst Götsch - curso Agroflorestas - Olhos D'água, 2009
Sintropia – Ernst Götsch – curso Agroflorestas – Olhos D’água

Partindo dos sistemas mais simples aos mais complexos, este conjunto de princípios e técnicas constitui a Agricultura Sintrópica de Götsch.

As técnicas promoveram a recomposição de 410 hectares de Floresta Atlântica, dos quais, 350 hectares foram transformados numa Reserva Particular do Patrimônio Natural e 120 hectares em Reserva Legal.

Sintropia: a vida não conhece tempo, conhece fluxo

Com alta produtividade em grande variedade de espécies vegetais, especialmente o cacau e a banana, a pupunha e o açaí, a recuperação da mata com todas as características de flora e fauna, cerca de 14 nascentes e 7 córregos, a área influencia o clima da Microrregião e o ambiente do entorno.

Além da recuperação de áreas degradadas e dos estudos de sistemas de produção em unidades agroflorestais, a Agricultura Sintrópica envolve técnicas de implantação e manejo mecanizado, produção de hortifrutigranjeiros e grãos, prática da pecuária e produção de madeira com baixos insumos.

Sintropia - agrofloresta no Tibá (2009)
Sintropia – agrofloresta no Tibá (2009)

Um dos princípios da Sintropia é a utilização das podas como combustível das transformações, colocando o metabolismo do sistema para funcionar no máximo da eficiência, num aumento constante de recursos, água e solo. E é justamente o que a diferencia dos manejos convencionais, incluindo as produções orgânicas.

“Vida em Sintropia” é um curta do Agenda Gotsch. Edição feita para apresentações da COP21 em Paris, é um compilado de experiências expressivas em Agricultura Sintrópica, com imagens e entrevistas inéditas.


Leia e baixe o artigo de Dayana Velozo Pastor ANDRADE e Felipe dos Santos PASINI: Implantação e Manejo de Agroecossistema Segundo os Métodos da Agricultura Sintrópica de Ernst Götsch

Compartilhar:

Comentários

21 comentários para “Sintropia: somos parte de um sistema inteligente”

  1. Parabéns,pra min não tenho dúvidas de que essa agricultura sintrópica é o melhor caminho pra salvar nossa terra mãe.
    Obrigado que DEUS abençoe todos vocês.

  2. Estou extasiada com tamanho conhecimento, maravilhada com tanta beleza, sou formada em Gestão Ambiental e por incrível que pareça não lembro de ter escutado falar em Sintropia, amei. Parabéns à todos pela realização deste documentário. Simplesmente MARAVILHOSO!

  3. Isso mostra que é possível recuperar todo o nosso ecosistema. Reduzindo a ganancia e convencendo nossos governantes que o combustível do futuro é a natureza e não o petróleo.

  4. Show,como Técnico Florestal,Coletor de Sementes Florestais,e tenho feito muito SAFS e que muitos não acredita na mudança d qualidade do solo e ao mesmo tempo em uma área com uma Diversidade muito grande,onde um solo mal chegava a 5 cm hoje em um ano conseguimos com manejo de leguminosas e especies Arbustivas e consorcio com alimentos hoje solo esta completamente recuperado com 70 cm de massa e criando nossas proprias sementes.

    1. Olá Evandro,vi seu comentário e queria saber se vc usa plantio direto, usa herbicida na descecação ou se vc roça a forragem verde e deixa se decompor, pois tentei fazer isso por aqui, pela forragem ser braquiária o gasto com combustivél pesa no bolso, pois estou usando essa prática a uns dois anos, até pássaros antes desaparecidos começaram a aparecer,queria uma sugestão como vc faz por aí,e obrigado.

  5. Estou maravilhada com a sintropia, nunca pensei que pudéssemos recuperar o solo com tamanha economia, e integração com a natureza.

  6. Vou tentar implantar este conceito no meu sitio em itaiçupeba mogi das cruzes sp, vou trabalhar com orgânicos mas o que eu tenho visto e o pessoal não saber implantar estes conceitos , falta conhecimento para eles, eles e outros precisam ser orientados para melhor aproveitamento do solo etc…

  7. Parabéns a todos vocês que trabalham com a terra. Feliz a ideia de implantar tal iniciativa em suas propriedades. Isto mostra que ainda temos gente preocupada com o futuro da nossa. Que belo vocês estão dando aos demais agricultores. AH se todos acompanhassem vocês. Nosso pais e nossas terras seriam mais produtivo e a melhoria para as futuras gerações estaria garantida. Parabéns. Parabéns. Parabéns.

  8. Adorei esse assunto de sintrópia tenho um sítio pequeno aqui em Goias que não me rende de nada só gastos,é todo formado em braqueara tem muita água mas a terra está muito fraca até o pomar esta secando, já pensei em oferece_lo a pesquisadores agrônomo ou qualquer órgão florestal alguém pode me orientar? Agradeço a atenção de todos.

  9. Esse sistema tem que ser apresentado aos pecuaristas de ITAPETINGA, BA que hoje estão sofrendo com a falta de água, e os gado morrendo. Em reportagem do BATV, de ontem se vê uma imensa área devastada em uma região que foi pioneira em gado de corte e leite.

  10. Impressionante, olhando essa materia, lembrei de meu pai, homem simples, sem estudos, mas ja praticava esse sistema que é conhecido como sintropia. Em apenas 2 alqueires de terra,Ele produzia mais que o vizinho que tinha 5 alqueires, mas vivia fazendo queimadas na terra.He meu pai, na sua simplicidade, Voce ja dava licoes de sustentabilidade.Parabens para essa divulgacao, que hoje é dado o nome de Sintropia.Parabens meu Pai.

  11. Realmente é de encher os olhos. . .maravilhoso, uma esperança linda para o futuro do nosso planeta, deve ser muito bom poder viver essa realidade…parabéns e que Deus abençoe a todos os que realizam esse projeto abençoado, as próximas gerações agradecem, e precisaram desses conhecimentos para não cometer novamente os mesmos erros.

  12. Parabens a todos q utizam o sistema de sintropia,nosso Brasil precisa de pessoas para salvar nossas terras,pois hoje a novela esta abordando esse manejo,Deus Abençoe inspire a tdos nesse trabalho.

  13. É simplesmente M A R A V I L H O S O!!!! Matéria esplêndida!! Por que será que os meios de comunicação, em especial os “Globo rurais” da vida, não maior ênfase no tema??? Coisas de Brasil!!!

  14. Maravilha!!essa técnica a Sintropia,agora tenho mais esperança em um mundo melhor para todos.
    Com certeza vou estudar mais sobre o assunto e assim divulgar para pessoas do meu convívio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *