GMC Creative

Baleia 52 Hertz: nosso gigante solitário

Assuntos: Ciência e Tecnologia, , , , , , Data: 15 de dezembro de 2015 - 16:52 Autor: Regina do Couto Visualizações: 4117.
Baleia Azul - respirando (publicação Baleia 52 Hertz)
Baleia Azul – Balaenoptera musculus

Um dos maiores mistérios do Reino Animal, a Baleia 52 Hertz ficou famosa pela sua assinatura sonora exclusiva, captada em 1989 no Oceano Pacífico pelos hidrofones SOSUS, da Marinha dos Estados Unidos, aparelhos usados originalmente para detectar submarinos durante a Guerra Fria.

Semelhantes aos chamados das baleias azuis, mas com notas principais de frequência 52 Hertz, muito mais altas que quaisquer outras espécies de baleias, este animal, aparentemente solitário, tornou-se a paixão do pesquisador de mamíferos marinhos do Instituto Oceanográfico de Woods Hole (WHOI), Massachusetts, William Alfred Watkins.

Bill Watkins foi pioneiro nos estudos de bioacústica de mamíferos marinhos, estabelecendo padrões de comportamento, identificação e linguística de baleias, golfinhos e focas nos seus ambientes naturais.

Durante 12 anos, o professor e sua equipe reuniram documentos e gravações em pesquisas sobre esta baleia exclusiva. Mas a verdade é que, até hoje, conhecemos muito pouco sobre ela. Ninguém sabe se é macho ou fêmea, qual a sua espécie ou se ainda está viva. A última série de gravações do seu chamado foi realizada em 2004.

Som da Baleia 52 Hertz  – PMEL Acoustics Program (NOAA) – Os sons são produzidos, geralmente em grupos de 2 a 6 chamados de 5 a 7 segundos e foram gravados em 2000 no Nordeste do Pacífico pela equipe do Prof. Watkins.

Os registros da trajetória da Baleia 52 Hertz foram semelhantes aos das baleias azuis. Ela viaja pelo Oceano Pacífico, iniciando sua jornada entre agosto e dezembro, pelas Ilhas Aleutas e o Arquipélago Kodiak, no Alasca, rumo ao sul da Califórnia. Seu ritmo, entretanto, parecia mais com o das baleias-comuns, entre 30 e 70 km por dia. Os cientistas do WHOI acreditavam que ela poderia ser uma espécie híbrida.

De lá para cá muitas especulações e alguns registros de frequências semelhantes foram detectados, dividindo as opiniões no mundo científico sobre a exclusividade da espécie e da assinatura sonora da Baleia 52 Hertz.

Atrás da Baleia 52 Hertz

Este animal mítico, consagrado por toda sorte e meios como “o animal mais solitário do Planeta” será protagonizado no documentário do diretor Josh Zeman e do ator Adrian Grenier. O projeto foi lançado na plataforma de crowdfunding (financiamento coletivo) Kickstarter entre março e maio de 2015, para financiar uma expedição científica de 20 dias em 400 milhas da costa da Califórnia e contou com uma generosa doação do ator Leonardo DiCaprio, conhecido pelo seu engajamento e ativismo ambiental (vd. Leonardo DiCaprio Foundation).

Além de marcar e monitorar baleias híbridas, filmar a expedição e coletar dados sobre poluição sonora, “52: Em Busca da Baleia mais Solitária do Mundo”, como foi intitulado, segundo os idealizadores, tinha o objetivo de encontrar e documentar, finalmente, a Baleia 52 Hz, este animal maravilhoso, cujo chamado tem uma frequência que nenhum outro é capaz de escutar. Entender por que isto ocorre e mostrar o apuro da sobrevivência das baleias nos oceanos, diante das atividades do homem. E, principalmente, experimentar a possibilidade de resgatar a conexão do homem com a natureza.

Baleia Azul - lâminas córneas - texto Baleia 52 Hertz
Baleia Azul – Balaenoptera musculus (lâminas córneas)

A missão foi muito bem sucedida, de acordo com os pesquisadores que chefiaram a expedição, Ana Sirovic e John Calambokidis. Usando hidrofones multidirecionais, eles encontraram uma grande concentração de baleias, apesar do El Nino, do mau tempo e da pouca visibilidade das águas no Golfo da Califórnia. Do ponto de vista científico, as metas foram alcançadas, muitos indivíduos foram identificados e marcados para monitoramento e uma grande quantidade de dados foi gerada e está em análise.

Sobre o encontro com a Baleia 52 Hertz, vamos ter que aguardar a edição das filmagens.

Veja que interessante o site da expedição. Você pode se cadastrar e receber a newsletter da equipe: “52: The Search”

Escute “Migratory Patterns,” (padrões migratórios), referência à Baleia 52 Hertz, criada pelo compositor Andy Othling.

Compartilhar:

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *